Notícias

Obra do esgoto de Matinhos e Pontal já começou

 

O presidente da Sanepar, Mounir Chaowiche, afirmou que as obras de ampliação da rede de esgoto de Matinhos e Pontal do Paraná já começaram. Em entrevista exclusiva, por telefone, ao Correio do Litoral.com, ele falou sobre a obra, o contrato de locação de ativos e o financiamento pleiteado pelo governador Beto Richa ao governo federal.

Locação de ativos

O empréstimo de R$ 250 milhões irá para a empresa vencedora da licitação, a Saneamento Litoral Paraná S.A. (SLP), que é uma Sociedade de Propósito Específico criada pela Goetze Lobato Engenharia Ltda (Gel) apenas para existir durante o contrato.

A Gel venceu a licitação para construir a rede de esgoto em Matinhos e Pontal do Paraná que será alugada para a Sanepar durante 20 anos. Ao final deste prazo, todos os ativos (tubulações, estações etc) passam para o patrimônio da Sanepar. O investimento é de R$ 250 milhões, que devem ser financiados pela Caixa Econômica Federal. Pela locação dos ativos, a empreiteira vai receber em torno de R$ 460 milhões.

O CorreiodoLitoral questionou a Sanepar sobre a vantagem da empresa estatal e fazer um contrato de locação de ativos, em vez de pegar os R$ 250 milhões de um banco público como a Caixa.

De acordo com Mounir Chaowiche, a opção se deve ao grande volume de investimentos da Sanepar (R$ 1,2 bilhão em infraestrutura de um total de 2,5 bilhões de investimentos nos últimos anos, segundo ele) e a necessidade de buscar todas as modalidades. “Temos obras com recursos do BNDES, verbas do Funasa, bancos internacionais e esta modalidade nova que é a locação de ativos”, afirmou. Segundo ele, a opção foi motivada pela busca de velocidade na realização das obras. A Assessoria de Comunicação, depois de entrar em contato com técnicos da empresa, acrescentou que a linha de financiamento pleiteada pela SLP não está disponível para empresas públicas.

Obras

Segundo a Agência Estadual de Notícias, do Governo do Paraná, o ministro Kassab “destacou a importância de investir em saneamento e se comprometeu a articular para que em breve o contrato com a Caixa seja assinado”. O governo não informa prazos e datas.

Chaowiche, afirmou que o contrato com a empresa vencedora da licitação homologada em outubro de 2013, será finalmente assinado em “meados de dezembro” e que as obras começam imediatamente. O prazo para a conclusão é de quatro anos, mas ele espera que termine bem antes. “Solicitamos que a empresa realize os serviços em sete frentes, desta forma, poderemos entregar alguns trechos em seis meses”, afirmou.

Até 95% de esgoto tratado

O presidente da Sanepar destacou que a ampliação da rede de esgoto vai atender 25 mil domicílios. Em Matinhos, serão executados 250 mil metros de rede coletora de esgoto, 14 estações elevatórias, de Caiobá a Monções. Também serão remanejados 14.524 metros da rede existente e substituídas 979 ligações prediais de esgotos.

Em Pontal do Paraná, serão executados 250.063 metros de rede coletora de esgoto e mais 15 estações elevatórias, distribuídas entre os balneários de Beltrame a Pontal do Sul. Segundo a Sanepar, com a conclusão das obras, Matinhos passará dos atuais 53% de esgoto coletado e tratado para 95%. Em Pontal do Paraná o índice saltará de aproximadamente 26% para 85%.